Marque sua consulta
Sistema de agendamento
disponível 24 horas
4
fev
Home blog » Retinoblastoma: O câncer ocular mais comum na infância

Retinoblastoma: O câncer ocular mais comum na infância

No dia 29 de janeiro, o apresentador Tiago Leifert e sua esposa, Daiana Garbin trouxeram a público o diagnóstico de sua filha Lua, que está com Retinoblastoma, um tipo de câncer ocular.

No dia 30 de janeiro, ambos deram uma entrevista ao Fantástico como forma de alertar todos os pais sobre a importância do diagnóstico precoce da doença.

Nós do Centro Oftalmológico de Minas Gerais, nos solidarizamos pelo momento difícil e também sabemos da importância da informação nesse momento, por isso trouxemos esse post explicativo para ajudar aos pais e familiares na prevenção a essa doença.

Aqui vão algumas informações importantes!

DIAGNÓSTICO
O diagnóstico precoce desta forma de tumor, cuja origem está associada a fatores genéticos, é o melhor caminho para garantir seu tratamento adequado.
Neste sentido, o início dos cuidados começa ainda na maternidade,
onde todo recém-nascido deve ser submetido ao Teste do Olhinho
(teste do reflexo vermelho) até 72 horas de vida, sendo este o primeiro
passo para a detecção de doenças oculares.

PREVENÇÃO
Após essa abordagem inicial, o Teste do Olhinho dever ser repetido ao menos três vezes ao ano, nos três primeiros anos de vida
da criança.
Para ampliar a proteção da saúde ocular das crianças, recomenda-se
ainda que bebês de seis a 12 meses passem por um exame oftalmológico completo;
Posteriormente, entre três (idealmente) e cinco anos esse mesmo bebê
deve ser submetido a uma segunda avaliação oftalmológica.
Exames oftalmológicos completos são fundamentais para detecção precoce de doenças oculares que afetam a saúde ocular da população infantil.

TRATAMENTO
Na identificação de qualquer anormalidade, o paciente deve ser encaminhado para consulta com oftalmologista especialista que aprofundará a investigação.
Em caso de confirmação de diagnóstico de retinoblastoma, a criança
iniciará tratamento que depende de vários fatores (localização e o tamanho do tumor, disseminação além do olho e possibilidade de preservação da visão);
Na condução de casos de retinoblastoma podem ser adotados diferentes procedimentos, como quimioterapia (intravenosa, intra-arterial, periocular e intraocular), terapia focal e métodos cirúrgicos.

Para outras informações sobre o retinoblastoma, consulte com um médico especialista. O Centro Oftalmológico de Minas Gerais está à disposição da sociedade para o diagnóstico e tratamento de crianças.

Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia